Quando questiono aos clientes que me procuram em consultório para emagrecer se comem devagar, 90% após um breve silêncio, confessam que não é uma realidade.

Entramos em piloto automático e usamos os talheres, mastigamos e engolimos de forma mecânica. É isto que acontece, não é?

Há muita evidência científica que demostrar que comer depressa pode resultar num ganho substancial de peso. Mesmo quando se verifica um consumo de comida saudável, comer depressa pode resultar num ganho de peso. Até porque comer depressa quase sempre resulta em comer demais.

Mastigar é importante por várias razões:

-Primeiro porque permite saborear os alimentos. É inacreditável como deixamos de apreciar uma boa refeição ao estar gananciosamente a preparar a garfada seguinte, ignorando por completo a comida que já temos na boca.

-Segundo porque o processo de digestão começa na boca, o ato de mastigar e a produção de mais saliva, é essencial para uma digestão mais eficiente. Se os alimentos não forem bem mastigados, poderá acabar por se sentir inchado e com flatulência.

-Terceiro porque alerta o resto do corpo da chegada de alimento.

-Quarto, mas não menos importante poder dar tempo para o cérebro informar quando já comemos o suficiente. Isto porque o nosso cérebro é que controla a nossa sensação de saciedade, e só cerca de 20 minutos depois de começarmos a comer é que o cérebro emite essa sensação. Se comermos muito rapidamente, podemos estar a comer demasiado sem nos sentirmos satisfeitos. Só quando nos sentimos enfartados com o nosso estômago quase a explodir, é que percebemos que comemos demais.

Deve mastigar pelo menos entre vinte e cinco a trinta vezes cada garfada, mas qualquer número acima de vinte trará benefícios.

A boa notícia é que pode corrigir este comportamento com a prática. A má notícia é que, como a maioria dos maus hábitos, é difícil alterá-los, porque tem que comer com consciência. Entenda por consciência a atenção que tem que dedicar ao processo de mastigação. Se verificar que come depressa pode abrandar e mastigar mais vezes.

Então, contar o número de vezes que mastiga é uma das formas mais eficazes para abrandar e comer menos, encha menos o garfo, coma com pessoas que comam devagar, pouse os talheres para conversar e vai ver que vai deixar comida no prato.

Não coma quando está zangado ou stressado, poderá levar a apressar-se. Por muita pressa que tenha, é má ideia jantar de pé na bancada da cozinha, à secretária ou no carro.

Em caso de desespero coma com a mão não dominante, assim, será obrigado a prestar atenção ao que está a fazer e leva a que coma mais devagar pela falta de prática. Pode também comer com pauzinhos caso não esteja habituado a fazê-lo, poderá tornar a refeição muito animada e decerto contribuirá para comer menos de cada vez uma vez que levará mais tempo a comer.

Ao mastigar bem, a sensação de saciedade instala-se mais rapidamente. Não é necessária uma grande força de vontade para comer menos, isso acontecerá de um modo natural.

Tendo em conta a importância da alimentação para nos mantermos vivos, devíamos conceder-lhe mais do nosso tempo e atenção.